Tempo

Tempo

A lacta flor dos meus olhos desce
E na resma de teus seios adormeço.
És o buquê das horas, és o começo...
E ao passar dos anos a alvura cresce.

Vivo de amor e de lágrimas padeço.
Sedento de desejos, meu olhar padece.
O tempo conduz na dor e amanhece,
Agora olhando o céu envelheço.

O tempo refresca a minha solidão,
Dentro do meu mundo sem cor e chão.
A arte de morrer tranquilamente.

Lúcido na experiência que ganho,
Sinto a luz desse esperado sonho!
Sinto a dor da vida eternamente.


GREDILHA,marcio.

1 Comment:

  1. Carol Barcellos said...
    "O tempo refresca mina solidão" foi minha frase preferida. Mas, claro todo o soneto está belíssimo! Gosto muito de ler poemas sobre o tempo, e o efeito dele nas pessoas, e vc pegou a essência mais realista dele. Muito bom, Mr. Gredilha!!!

    Beijos e uma dúzia de rosas de cristal, vc sabe pra quem!!! :o)

Post a Comment




 

Política de privacidade

Blogger Template Sponsored by Top 10 Best Business Web Hosting Reviews